4 dicas simples para lanches mais saudáveis

Antes de começar esse post, só queria deixar um alerta: Qualquer alimento pode ser contra-indicado para algumas pessoas, não se esqueça de consultar seu nutricionista para ter uma alimentação ideal e personalizada para você.

Bom, ando percebendo que quando descuido da minha alimentação, minha disposição despenca. Acredito que mais alguns fatores influenciam essa indisposição mas, no meu caso, foi muito pontual, pois na semana em que eu descuidei da minha alimentação, meu desempenho caiu.

Por isso, vou dar algumas dicas de alimentos para fazer aqueles lanches entre as principais refeições, e espero que de alguma maneira inspirem vocês a terem uma alimentação mais saudável e mais rica em alimentos do bem.

FRUTAS

Continuar lendo “4 dicas simples para lanches mais saudáveis”

Anúncios

Lições que a enxaqueca me trouxe

Inicialmente era algo bem ruim. Atrapalhava minha vida por ser tão recorrente, mas acredito que era mais um convite (ou talvez uma intimação) a uma vida mais saudável.


Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho. Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!

Machado de Assis


Desde 2011, eu descobri que tenho a enxaqueca com aura. Comigo, ela começa, normalmente, com cegueira parcial e flashes brilhando em zique-zague pelo campo visual. A dor, normalmente, vem só depois, e pode ser tanto fraca quanto intensa, depende da situação.

DSC_2032

Quando eu descobri que tinha enxaqueca, eu tinha 13 anos, e não sabia nada sobre o assunto. Mas meu médico me alertou que, dentre as tantas possíveis causas de crises, alguns alimentos favoreceriam a intensificação dos sintomas.

Então, houve a necessidade de regular a minha alimentação. E para isso, excluí certos ingredientes da minha dieta, pelo menos no início e nos períodos de maiores crises. Alimentos com glutamato monossódico (intensificador de sabor), lactose, cafeína, chocolate, queijos muito gordurosos e leite condensado tiveram que sair da minha alimentação, e serem consumidos apenas muito esporadicamente, com a consciência de que, se eu exagerar, vai vir a enxaqueca, com certeza.

Pelo fato da maioria das coisas que eu comia terem que sair da minha alimentação, precisei me adaptar e começar a cada vez mais ter uma alimentação saudável e o menos industrializada possível, que não seja cheio de aditivos químicos, gordura e não cometer excessos.

Por isso, ao longo desses anos, eu fui tentando sempre melhorar, e a minha alimentação mudou muito. Aprendi a comer mais alimentos crus, menos industrializados, sem tanto aditivos químicos e busco sempre melhorar, sempre buscar meios de ter uma vida mais saudável e mais leve, para melhorar meu bem estar, sobretudo, em relação a minha enxaqueca.


 

Há males que vêm para o bem. Difícil é aceitar que algumas más situações foram o marco inicial para te encaminhar, através da dificuldade, ao lugar oportuno. Somos capazes de superação, por isso, as vezes, precisamos de uns apertos.

Salatiel Gualter


Um beijo,

Letícia ❀

Detox Virtual

Sempre que vamos nos supermercados, vemos vários produtos que se dizem ser detox. Eles dizem que limpam o organismo e prometem uma melhora na saúde. E hoje vou falar sobre um detox diferente, e bem mais difícil de se realizar do que aquele que se compra o produto e ingere: o Detox Virtual.

Não sei se já estão usando esse termo por aí, mas o Detox Virtual, na minha opinião, seria uma limpeza mental de toda a tecnologia e excesso de informação que somos bombardeados todos os dias. Seria um desapego de tudo o que nos cerca de maneira nem sempre tão positiva e está em excesso.

Sei que as coisas são complicadas. Mas ao mesmo tempo simples. Elas se complicam à medida que se tem medo da simplicidade ? porque essa simplicidade deseja o fato em si, a verdade.:
Fonte: br.pinterest.com

E o que pode ser considerado em excesso, na minha opinião?

Acordar e antes de nem abrir o olho já procurar o celular para olhar as redes sociais. Estar morrendo de fome, mas não poder comer porque precisa tirar uma foto e postar antes de qualquer coisa. Comer sem ao menos prestar atenção no que está sendo ingerido, por estar mexendo no celular, checando e-mails, respondendo mensagens. Não deixar o celular de lado nem nos momentos de estudo e trabalho. Ir dormir apenas depois de checar as redes sociais. Enfim.

Tudo isso, de certa maneira, nos afeta! Nossa mente fica conectada e estimulada muito mais do que deveria ser e nosso corpo fica menos conectado com o mundo real, com as atividades que deveríamos fazer.

Se somos tão afetados, por que não mudar isso?

Aproveitar as experiências longe do celular, aproveitar as relações olho a olho. Abrir nossas mentes para outras possibilidades pode ser um passo para uma vida mais vivida no mundo real, e menos no mundo virtual.

Por isso, lanço a vocês o desafio de fazer exatamente isso. Não seria algo como 100 dias sem contato com as redes sociais, ou algo do gênero, mas sim, algo como levar mais leve a vida virtual.

Algo como não acordar e já correr para o celular, mas agradecer por mais um dia de vida ou simplesmente levantar e começar a se arrumar. Algo como comer e apreciar isso, e não ficar preocupado em estar conectado. Algo como andar na rua e ver quem está passando, dizer bom dia, aproveitar a caminhada. Algo como ter momentos no seu dia para desapegar e aproveitar esse tempo para fazer o que você gosta, além do celular.

“Em algum lugar, alguma coisa incrível está esperando para ser conhecida.”

Carl Sagan


Um beijo,

Letícia ❀

(Fonte imagens: Pinterest)